A- A A+
 
 
 

Fundamentos Conceituais

O Histórico

 

A Faculdade de Letras da UFMG (FALE) foi fundada em 26 de novembro de 1968, como resultado do desmembramento da área de Letras da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras determinado pela Reforma Universitária Federal, no âmbito da qual foi aprovado o projeto da nova estrutura da UFMG pelo Decreto Lei 62.317 de 28/02/1968. Em 23 de novembro de 1968, o então Reitor, Gerson Brito de Melo Boson, indicou a Profa. Ângela Vaz Leão Diretora pro tempore da Faculdade de Letras, com a incumbência de instalar a Congregação, propor a estrutura departamental e providenciar a eleição da lista tríplice para o provimento efetivo da Diretoria. Em 26 de novembro de 1968, instalou-se solenemente a Congregação da Faculdade de Letras e já nesta primeira reunião foi eleita a lista tríplice para a nomeação do Diretor efetivo. Em 28 de fevereiro de 1969, a Profa. Ângela Vaz Leão, integrante da referida lista tríplice, foi nomeada a primeira Diretora da Faculdade de Letras.

Como área da Faculdade de Filosofia, o Curso de Letras funcionou no Colégio Marconi, no Instituto de Educação, no Edifício Acaiaca e no prédio da rua Carangola. Como Faculdade de Letras, funcionou na Rua Carangola (5 º, 6ºe 7º andares) e, a partir de 1983, funciona em seu prédio próprio no Campus da UFMG, na Pampulha.

Na sua fundação, a Faculdade de Letras era estruturada em quatro departamentos: Departamento de Letras Vernáculas, Departamento de Letras Clássicas, Departamento de Letras Românicas e Departamento de Letras Germânicas. Em 25 de outubro de 1978, deu-se o desmembramento do Departamento de Letras Vernáculas, com a criação do Departamento de Lingüística e Teoria Literária. Mais uma mudança na estrutura departamental da Faculdade de Letras foi implantada em 26 de outubro de 1988, com o desmembramento do Departamento de Lingüística e Teoria Literária em dois departamentos: Departamento de Lingüística e Departamento de Semiótica e Teoria da Literatura. Em 4 de maio de 1995, foi alterado o nome do Departamento de Letras Germânicas para Departamento de Letras Anglo-Germânicas, mantendo-se inalterada a sua constituição. Em 7 de novembro de 2002, foi aprovado pelo Conselho Universitário da UFMG o Regimento da Faculdade de Letras (Resolução 12/2002) que aboliu a estrutura departamental no âmbito da Unidade. Essa nova estrutura, inédita no âmbito das IFES brasileiras, foi concebida a partir da aprovação do novo Estatuto da UFMG, em vigor desde 5 de julho de 1999, que faculta as suas unidades acadêmicas a opção por estruturas diferentes da estrutura departamental. A nova estrutura da Faculdade de Letras foi implantada em 14 de março de 2003.

 

O Mercado de Trabalho

 

A análise do mercado de trabalho atual e do horizonte político e social do país aponta para a criação de espaços que demandam profissionais cuja formação resulte de diferentes áreas do saber e de distintas modalidades de formação. No que concerne à área de Letras, destacam-se os seguintes espaços: - a educação básica, promovida nos âmbitos público e privado e cuja oferta encontra-se em franca expansão no país, que requer a formação de profissionais da educação comprometidos com os avanços educacionais e com a necessária melhoria dos padrões de qualidade da educação e das condições de oferta do ensino. A formação desses profissionais da educação precisa estar em harmonia com os avanços tecnológicos e educacionais para a construção, no Brasil, de uma escola compatível com as tendências do século XXI;

- a educação superior, promovida nos âmbitos público e privado, igualmente em franca expansão no país, que requer a formação de um profissional de Letras dedicado à educação em geral e que possa constituir a base necessária para a formação dos futuros docentes da educação superior, estabelecendo a ponte necessária entre o ensino de graduação e de pós-graduação;

- o ensino de línguas estrangeiras, suas culturas e literaturas, que incentiva a formação complementar ou integral de profissionais de mercado, ou interessados pelo desenvolvimento de estudos sobre a Língua Portuguesa e de línguas estrangeiras modernas ou clássicas, como o Grego e o Latim. Tendo sua inclusão/exclusão nos currículos do ensino básico, determinadas pela evolução da geopolítica e das relações econômicas internacionais, as línguas estrangeiras são alvo de maior procura e estão geralmente associadas ao interesse pela educação básica ou outras atividades do mercado (escolas de línguas, mercado da tradução, de intérpretes, de revisores, etc.). O caráter estável da Língua Portuguesa nos currículos das escolas de 1º e 2º graus, bem como a necessidade de aprofundamento no conhecimento da língua materna, por qualquer profissional de Letras, são fatores que configuram a Licenciatura Dupla como opção desejável e necessária, que pode contemplar de forma mais eficiente e dinâmica as demandas e oscilações do atual mercado de trabalho do profissional de Letras. O campo de línguas estrangeiras sugere também a necessidade da oferta de habilitações opcionais à licenciatura, atendendo às demandas crescentes pela aquisição de línguas estrangeiras modernas por diferentes profissionais do mercado como formação complementar ou integral, acompanhada de uma formação humanística e cultural e, também, por interesses relacionados a pesquisas diversas na área de Letras e Artes, o que justifica a oferta de habilitações na modalidade Bacharelado em Letras;

- a inclusão do ensino específico de Lingüística que forma profissionais cujos conhecimentos contemplam, no campo prático, as áreas de fonética clínica, de fonoaudiologia, de línguas indígenas, de lingüística forense, entre outras; e no campo teórico, pesquisas básicas, de natureza científica, que servem de alicerce para futuras aplicações como, por exemplo, o desenvolvimento de linguagens artificiais. O Bacharelado em Lingüística caracteriza-se por um anseio dos lingüistas brasileiros, pois a modalidade, já estabelecida em universidades estrangeiras, ainda se apresenta em expansão nas nossas universidades.

 

A Oferta do Curso de Letras

 

O Curso de Letras da FALE atende a dois tipos de demanda: de um lado, destaca-se a formação do professor através da Licenciatura, investindo na qualificação dos docentes para ajustá-lo ao dinamismo das realidades econômica, social e tecnológica; de outro lado, o Bacharelado, que se dirige a estudantes com perfis variados, interessados nos estudos lingüísticos e literários com vistas à pesquisa, ao desenvolvimento de competências na área de línguas estrangeiras e a uma formação cultural e humanística, bem como profissionais de outras áreas que buscam o aprimoramento de seus conhecimentos no âmbito da linguagem e da literatura. A FALE ainda prevê, para atender a uma demanda da sociedade e da atualidade global, uma Licenciatura Dupla, com formação em Língua Portuguesa e uma Língua Estrangeira moderna ou clássica. O quadro abaixo representa a oferta atual do Curso de Letras:

Modalidade Licenciatura Bacharelado
Habilitação Diurno Noturno Diurno Noturno
Português X X X X
Inglês X X X X
Alemão       X
Espanhol   X   X
Francês     X  
Italiano     X  
Grego     X  
Latim     X  
Linguística     X  
Português - Francês X      
Português - Alemão   X    
Português - Italiano X      
Português - Grego X      
Português - Latim X      

 

O Perfil Geral do Curso de Letras

 

Em sintonia com o Art. 6º das Diretrizes Nacionais, a Faculdade de Letras da UFMG, ao elaborar e desenvolver sua proposta pedagógica, pretende que o aluno adquira, em sua formação, as seguintes competências:

- o comprometimento com os valores inspiradores da sociedade democrática;

- a compreensão do papel social da escola;

- o domínio dos conteúdos a serem socializados, aos seus significados em diferentes contextos e sua articulação interdisciplinar;

- o domínio do conhecimento pedagógico;

- o conhecimento de processos de investigação que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica;

- o gerenciamento do próprio desenvolvimento profissional;

- a capacidade de síntese, de análise e de crítica.

- a capacidade de resolução de problemas em contextos novos;

- a autonomia intelectual para buscar e construir os conhecimentos e as práticas;

- a capacidade de compreensão da atuação profissional a partir de uma visão ampla dos processos históricos e sociais.

 

O Perfil Profissional do Graduado em Letras

 

O graduado da Faculdade de Letras da UFMG, ao final de seu curso, deve ter desenvolvido as seguintes habilidades específicas da área de Letras:

- o domínio do uso da língua portuguesa em sua variedade padrão, bem como compreensão crítica das variedades lingüísticas, nas suas manifestações oral e escrita, nas perspectivas sincrônica e diacrônica;

- a compreensão crítica das condições de uso da linguagem, das restrições internas e externas das atividades discursivas, de seu uso e adequação em diferentes situações de comunicação, da capacidade de reflexão sobre a linguagem como um fenômeno semiológico, psicológico, social, político e histórico;

- o domínio de línguas estrangeiras em suas diferentes modalidades, oral e escrita, nos registros formal e informal;

- o domínio teórico e crítico dos componentes fonológico, morfossintático, léxical e semântico de uma língua;

- o domínio de diferentes abordagens gramaticais;

- a compreensão do processo de aquisição da linguagem de modo a promover uma melhor compreensão dos problemas de ensino e aprendizagem da língua materna e de línguas estrangeiras;

- o domínio crítico de um repertório representativo de literaturas, brasileira e estrangeira;

- uma visão crítica e atualizada das perspectivas teóricas adotadas nas investigações lingüísticas e literárias;

- uma preparação profissional atualizada, de acordo com a dinâmica do mercado de trabalho, incluindo a utilização dos recursos da informática;

- a consciência dos diferentes contextos culturais e interculturais e sua influência no funcionamento da linguagem, bem como para o ensino de competências lingüísticas;

- o domínio dos conteúdos básicos que são objeto dos processos de ensino e aprendizagem no ensino fundamental e médio;

- o domínio das abordagens, métodos e técnicas pedagógicas que favoreçam a construção de conhecimentos para os diferentes níveis de ensino.